Veja a Vida dos Gatos de Rua Pelo Mundo Inteiro

Durante 18 anos, Tuul e Bruno Morandi fotografaram as pessoas, as cidades e as paisagens do mundo. Enquanto viajavam, começaram a acumular acidentalmente fotos extra sobre outro assunto, não humano: os focinhos dos amigáveis e peludos gatos de rua.

No livro de Tuul e Bruno, La Grand Odysée des Chats(“A Grande Odisseia dos Gatos”), os sujeitos felinos relaxam encostados a edifícios azuis em Xexuão, Marrocos, saltam por cima de ruínas na Grécia e observam curiosamente os pescadores no Japão, à espera de uma oportunidade para roubarem as sobras de peixe.

Os próprios Morandi são apaixonados por gatos. Na realidade, dedicaram o livro ao seu gato Mujra, de 10 anos, que Tuul descreve como “lindo e amável”.

Enquanto viajavam em trabalho, eram atraídos pelos carismáticos felinos e não resistiam a tirar fotos aos gatos que encontravam no terreno. Assim que obtiveram fotos suficientes, perguntaram ao seu editor se podiam fazer um livro. O editor concordou e eles começaram a fotografar as criaturas semisselvagens com um foco renovado.

Os Morandi repararam que os gatos costumam ter os mesmos hábitos em cidades diferentes, mas tal como os humanos, alguns gatos são mais tímidos do que outros. Enquanto os gatos “selvagens” se distinguem tipicamente pelo seu receio ou aversão a humanos, os gatos “de rua” sem dono, gatos “vadios” ou gatos da “comunidade” são geralmente amigáveis. “Por vezes, alguns gatos são realmente tímidos, mas no Japão, a maioria dos gatos que conhecemos não eram tímidos de todo”, diz Tuul. “Eles sabem que os humanos são amigáveis. Talvez isso se deva às relações que têm com as pessoas que os alimentam.”

Um gato verdadeiro deitado no meio de estátuas maneki-neko, ou “gato da sorte”, num templo de gatos no Japão. FOTOGRAFIA POR TUUL AND BRUNO MORANDI

 

Um gato a relaxar encostado a uma das ruínas de Éfeso, sítio arqueológico de uma cidade portuária romana com 2000 anos, na Turquia da atualidade. FOTOGRAFIA POR TUUL E BRUNO MORANDI

 

Gatos a dormir, sem prestarem atenção aos humanos que andam pelas ruas de Xexuão. FOTOGRAFIA POR TUUL AND BRUNO MORANDI

 

 

Gatinhos sentados em Lamu, a povoação suaíli mais antiga da África Oriental e Património Mundial da UNESCO. Os gatos da ilha de Lamu são diferentes de outras populações africanas, com focinhos mais estreitos e pernas mais longas. FOTOGRAFIA POR TUUL AND BRUNO MORANDI

 

Esquerda: Um gato malhado cor de laranja a olhar curiosamente para outro numa “ilha de gatos” japonesa. Direita: Em Tóquio, existem vários templos dedicados aos gatos. Nestes santuários, os visitantes podem ver gatos de pedra e felinos verdadeiros. FOTOGRAFIA POR TUUL E BRUNO MORANDI

 

 

Para além da densa população de gatos de rua, Lamu também é o lar de milhares de burros. FOTOGRAFIA POR TUUL AND BRUNO MORANDI

 

Gatos a observarem o que os rodeia, em Xexuão, Marrocos. FOTOGRAFIA POR TUUL AND BRUNO MORANDI

 

Gatos malhados passeando junto a um barco de pesca no Japão, onde os gatos gozam de uma “relação especial” com os pescadores, diz o fotógrafo. FOTOGRAFIA POR TUUL AND BRUNO MORANDI

 

Um gato brincalhão espreguiça-se ao sol nas ruínas turcas. O Islão é a religião predominante na Turquia e diz-se que o profeta Maomé costumava pregar com o seu gato ao colo. FOTOGRAFIA POR TUUL AND BRUNO MORANDI

 

Gatos lutando na brincadeira ao lado dos habitantes indiferentes em Lamu, no Quénia. FOTOGRAFIA POR TUUL AND BRUNO MORANDI

 

Fonte: National Geographic

Recent Posts