OS PERIGOS ESCONDIDOS DO NATAL PARA O SEU ANIMAL

Para que a magia do Natal não acabe numa ida ao hospital, proteja os seus amiguinhos de quatro patas!

Esta época do ano é vivida, geralmente, em família e com muita partilha. É altura de ir buscar a árvore de Natal, enfeitá-la com as tradicionais bolas, fitas, luzes e deixar os presentes embrulhados de baixo dela. Quem tem gatos, sabe a perdição que o felino tem pelo pinheiro e pelos seus enfeites. Os gatos interpretam uma árvore de Natal como uma árvore e tentam subi-la. Se cai em cima dele, pode deixá-lo maltratado.

 

Os enfeites são um perigo

Quer os cães quer os gatos podem morder as luzes e apanhar um choque elétrico. Também as fitas são uma tentação muito forte, eles normalmente começam a puxar e podem engolir, o que pode levar a operações. Assim como as fitas que embrulham os presentes, eles engolem por inteiro, porque começam a desfiar, e o efeito é como o do esparguete, pode tornar-se um drama.

 

Bolas de Natal podem cortar

As bolas de Natal são também um problema. Os cães e gatos adoram bolas e correm atrás delas, mas as do pinheiro podem levar a problemas graves. Eles conseguem tirá-las da árvore e parti-las, embora não sejam de vidro, tornam-se objetos cortantes tornando-se num perigo se ingeridas ou mesmo se eles pisarem. Mesmos os bonecos de trapo podem ser ingeridos.

 

A comida

Álcool e frutos secos podem matar Os cães também estão sujeitos a perigos, principalmente porque, sempre que têm oportunidade, gostam de ir à mesa «roubar» o que apanham. Não se pode dar nem doces nem fritos e evitar que eles os comam.
As nozes e o chocolate são muito perigosos porque são produtos tóxicos para eles, bem como a passas de uva, todos eles levam a intoxicação e no caso do chocolate provoca insuficiências renais e alterações a níveis do sangue.
Segundo relatos “uma vez um bóxer que comeu camarão e eu fui chamada de urgência, porque ele fez alergia e estas são muito perigosas. Acontece com frequência porque as pessoas estão distraídas, a conversar e os animais aproveitam para ir à mesa», conta a diretora clínica. Mas não é só com a comida que se deve ter cuidado, a bebida também pode deixar mazelas.
Recordamos ainda um episódio de um cão que chegou à clínica, literalmente, alcoolizado. “Assaltou uma garrafa ou jarro de sangria, ficou um bocadinho ‘tosga’, como se costuma dizer. Os donos perceberam levaram-no à clínica e ele entrou assim com as patitas trocadas, vomitou e depois esteve a soro”.

 

ATENÇÃO às lareiras

O gato é um animal curioso e ao aproximar-se da lareira pode «queimar-se». O mesmo acontece com os cães que não têm bem noção da temperatura e quase se põem lá dentro. O ideal é colocarmos lareiras fechadas para evitar que eles saltem lá para dentro.

Mas tal como os humanos se constipam com as diferenças de temperatura, os cães também. Quando eles estão à lareira e depois são levados à rua, convém que arrefeçam um pouco antes ou vestir um casaquinho, mesmo quando o cão tem uma boa camada de pelo. A lenha também é perigosa, porque os cães gostam de mordiscar e às vezes acabam por ingerir pedaços que se tornam cortantes.

 

Fonte: maria.pt

Recent Posts