Microchip para animais de estimação: tudo o que precisa de saber

Está provado que apenas a coleira com os dados do dono não são suficientes em caso de perda. O microchip é uma forma segura de identificar o animal e tem várias vantagens.

Existem mais de dois milhões de animais de companhia, maioritariamente cães mas também gatos registados, o que representa cerca de 50% do universo de animais no país, apesar de o registo por microchip nos cães ser obrigatório há dez anos.
Em Portugal, o microchip para animais de estimação é obrigatório para todos os cães nascidos depois de julho de 2008, e cuja aplicação deve ser feita a partir dos 3 meses.

O QUE É UM MICROCHIP E COMO FUNCIONA?
O microchip é uma pequena cápsula eletrónica do tamanho equivalente a um grão de arroz, que possui um código de barras individual, único e permanente, detetável apenas através de um aparelho de leitura próprio.
A aplicação é bastante rápida e simples e não apresenta dor para o animal, sempre sob a pele, na face lateral esquerda do pescoço.
Com este microchip e o número que lhe corresponde, é possível efetuar a inscrição em Base de Dados SIRA, sendo, em qualquer momento, fácil de determinar qual o detentor do animal, facilitando, assim, a recuperação de animais perdidos.

É de extrema importância a inscrição do animal na base de dados, caso contrário de nada servirá o microchip para animais de estimação: será apenas um número sem qualquer informação associada. Só uma identificação plena, com microchipagem, inscrição em base de dados e atualização constante da informação é possível assegurar eficiência na recuperação em caso de perda.

 

ONDE PODE COLOCAR O MICROCHIP?
Qualquer veterinário certificado poderá tratar facilmente deste processo. Se não sabe onde se pode dirigir, então temos boas notícias: o plano de saúde Vetecare tem ao seu dispor uma rede completa de profissionais habilitados para a implementação de microchip para animais de estimação. Com este plano pode reduzir custos na colocação de chip devido à vasta rede de clínicas parceiras.
Após a colocação, o veterinário deverá efetuar a inscrição do animal na base de dados do SIRA, através do portal online, sendo, seguidamente, impresso um comprovativo que deverá ser cautelosamente guardado pelo dono.

Pode confirmar a inscrição de qualquer animal no website criado para o efeito.

Além disso, com a inserção dos dados do animal e dono no SIRA será possível passar a integrar a Europetnet: uma organização sem fins lucrativos, que liga diversas bases de dados de países europeus num único website acessível a qualquer pessoa.

Desta forma, todos os animais inscritos no SIRA, estão automaticamente disponíveis para pesquisa nesta rede, cuja grande vantagem é, precisamente, a partilha de dados a nível europeu. Assim, se viajar com o seu animal de estimação para qualquer país da Europa é bem mais fácil apurar o paradeiro do dono caso o animal se perca.

 

VANTAGENS EM APLICAR MICROCHIP PARA ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO
Atualmente, são poucas as clínicas veterinárias que não possuem um leitor de microchip, pelo que facilmente encontrará um profissional certificado para a colocação ou até para a leitura de algum animal perdido que tenha encontrado. Informe-se connosco.

A obrigatoriedade de colocação de microchip nos cães apresenta várias vantagens:
O microchip não precisa de nenhum tipo de recarga, pois só será ativado pelo leitor;
É impossível perder o microchip;
Funcionará durante toda a vida do animal;
Não necessita de qualquer manutenção.

Informe-se connosco!

 

Fonte: Vida Ativa

Recent Posts