Fique atento às alergias no seu animal

Alergias

Tal como nas pessoas, os cães e gatos podem demonstrar sintomas alérgicos. Isto surge quando o seu sistema imunitário reconhece certas substâncias (alergenos) como prejudiciais. Apesar destas substâncias serem comuns no ambiente e perfeitamente inofensivas para a maioria dos animais, nos alérgicos demonstram uma reacção exagerada.

Os alergenos podem ser inalados, ingeridos ou absorvidos através da pele. Numa tentativa de defesa podem surgir sintomas cutâneos, digestivos e respiratórios. Os mais comuns são:
•    Prurido (comichão)
•    Pele vermelha e/ou com feridas
•    Lambedura constante
•    Espirros
•    Vómitos
•    Diarreia

Qualquer animal pode ser alérgico, mas existe uma predisposição racial nos cães Boxer, Labrador Retriever, Golden Retriever, Pug, West Highland White Terrier, Pastor Alemão, Shar Pei e Dalmata. Nos gatos não existem nenhuma predisposição racial.

 

As alergias mais comuns são:
•    Atopia;
•    Alergia alimentar;
•    Alergia à picada da pulga.

Atopia

A atopia, ou dermatite atópica, é causada pelo contacto de alergenos através da pele ou por inalação. As substâncias mais comuns que causam alergia aos nossos animais são a relva, pólen, pó, àcaros, fumo de tabaco, produtos domésticos (ex: lixívia), perfumes e champôs. É usualmente observada em animais jovens adultos (1 a 3 anos de idade em média). Neste caso o prurido é sazonal. As zonas mais afectadas pelo prurido são: os olhos, focinho, abdomen, orelhas e membros. Actualmente existem testes que permitem identificar a substância a que o animal é alérgico. Uma vez diagnosticada a atopia, o tratamento será para o resto da vida do animal uma vez que não há cura mas uma diminuição da sintomatologia da doença.

Alergia alimentar

A alergia alimentar desencadeia-se pelo contacto a um alergeno presente no alimento do animal, geralmente a uma ou mais proteínas. Os alergenos mais comuns no alimento dos nossos animais são os cereais, a carne de vaca ou frango, produtos lácteos e o peixe. A reacção pode ser imediata (nos primeiros minutos após a ingestão) ou tardia (passadas horas ou dias após a ingestão). Os sintomas são semelhantes aos da Dermatite Atópica mas o prurido prolonga-se ao longo de todo o ano. Também podem surgir sintomas gastrointestinais. Existem vários testes mas o mais frequente é a Dieta de Eliminação. Este teste consiste na alimentação exclusiva de uma dieta com uma fonte proteica a que o animal nunca tenha sido exposto ou uma dieta hipoalergénica durante 8 a 10 semanas. Se os sintomas se resolverem durante este período de tempo, é provável que o seu animal tenha uma alergia alimentar. O diagnóstico é confirmado alimentando o seu animal com o alimento anterior (dieta de provocação) e verificar se os sinais reaparecem. É fundamental o empenho e compromisso do dono para não dar nada mais que a dieta de eliminação, uma vez que biscoitos, comida caseira ou outros suplementos que podem possuir o alergeno e falsear os resultados.

Alergia à picada da pulga

A alergia à picada da pulga (DAPP) é a doença alérgica mais comum em todo o mundo! A reacção alérgica é causada pela saliva da pulga. O prurido manifesta-se imediatamente mas persiste algum tempo após a eliminação das pulgas. Uma picada é suficiente para desencadear a reacção alérgica. Os sintomas são o prurido generalizado, crostas com perda de pêlo na base da cauda, membros posteriores, região lombar e ventre. É mais agressiva nos meses quentes pois é o período em que existem mais pulgas. Deve-se tentar controlar a carga de pulgas no animal e no ambiente. Actualmente existem inúmeros produtos de uso tópico (pipetas e coleiras), sistémico (comprimidos de administração via oral) e de utilização no ambiente (sprays) de maneira a eliminar eficazmente as pulgas. O sucesso do controlo das pulgas depende do empenho do dono, tendo que ser realizada de forma regular.

A incidência de reacções alérgicas tem aumentado, quer em pessoas quer nos animais de companhia. Não se esqueça que estas reacções alérgicas podem diminuir substancialmente a qualidade de vida do seu animal e a sua. Se o seu animal apresentar algum dos sintomas descritos não hesite em contactar-nos para podermos providenciar um tratamento adequado que vos devolverá uma vida mais feliz.

 

Fonte: Planeta Animal

Recent Posts