Estudos demonstram: o nosso stress contagia os animais

Da próxima vez que se sentir mesmo stressado, lembre-se: provavelmente o seu animal de companhia sente o mesmo sofrimento também.

A personalidade do dono afeta as concentrações de cortisol no seu cão

Uma pesquisa publicada recentemente no jornal Scientific Reports, apresenta o estudo realizado por cientistas da Universidade de Linköping, na Suécia, que chegou à conclusão de que os donos de animais de estimação stressados “passam” esse estado para os seus cães.

A descoberta baseou-se na análise da presença do cortisol, (conhecida como a hormona do stress), no organismo das pessoas e dos seus animais.

Em jeito de resumo a bióloga Lina Roth, uma das autores da pesquisa afirma que “os cães e os seus donos sincronizam os seus níveis de stress a longo prazo, e a personalidade do dono afeta as concentrações de cortisol nos pêlos dos cães. Já a personalidade própria de cada cão mostrou ter pouco efeito sobre o nível de stress.”

Roth afirma ainda que “não encontramos nenhum grande efeito da personalidade do cão no stress de longo prazo. A personalidade do dono, por outro lado, teve forte efeito. Isso leva-nos a concluir que o cão espelha o stress do seu dono”.

Como foi feito o estudo

O estudo analisou 58 cães – 25 da raça border collie e 33 pastores de shetland – e as suas donas – todas mulheres. “Cortamos amostras de cabelo das proprietárias e dos pêlos dos seus cães em duas ocasiões diferentes. E analisamos a concentração de cortisol”, explica Roth.

“À medida que o pêlo cresce, o cortisol da corrente sanguínea é gradualmente incorporado. Isso forma uma espécie de calendário retrospectivo dos níveis de cortisol. Portanto, a partir de amostras de cabelo, conseguimos analisar os níveis de stress ao longo de meses.”

A bióloga conta que as proprietárias dos cães também foram convidadas a responder um longo questionário com perguntas da personalidade – tanto delas, quanto dos seus cães.

Os resultados

Como já havia sido demonstrando por estudos anteriores que indivíduos da mesma espécie podem espelhar estados emocionais uns dos outros – por exemplo, crianças que incorporam a personalidade stressada dos seus pais -, os pesquisadores queriam descobrir se o mesmo acontecia com os animais com os quais humanos têm uma forte relação.

“Descobrimos que os níveis de cortisol a longo prazo no cão e no seu dono foram sincronizados, de modo que os proprietários com altos níveis de cortisol têm cães com altos níveis de cortisol, enquanto os proprietários com baixos níveis de cortisol têm cães com baixos níveis”.

Como a atividade física também pode aumentar o nível de cortisol em humanos, havia a suspeita de que o mesmo pudesse interferir no efeito analisado nos cães. Então, foram selecionados cães mais sedentários – aqueles que servem apenas como companhia – e outros que competem em provas de agilidade e corrida.

As atividades físicas desempenhadas pelos cães durante o período da pesquisa também foram monitorizadas.

Concluiu-se que a atividade física dos cães não afeta os níveis de cortisol. Por outro lado, concluiu-se que os cães competidores parecem estar mais sincronizados com os seus donos.

Fonte: terra.com

Recent Posts