Abandono cada vez maior

O número de animais abandonados continua a aumentar, e segundo associações de protecção animal existem “mesmo gatos que se “suicidam”. A Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) não tem dados quanto ao número de animais que são abandonados em Portugal. Mas as Associações de protecção de animais garantem que nunca tantos cães e gatos foram abandonados como nos últimos anos.

Os números

Segundo o jornal i apurou, há um aumento no número de queixas apresentadas à PSP e à GNR por maus tratos e abandono de animais. Em 2018, o número de queixas foi de 2054, mais 38 relativamente ao ano anterior, segundo os dados divulgados pela publicação.

A experiência das associações que acolhem animais confirma a tendência. “Nunca tivemos tantos gatos como temos neste momento”, refere ao i a responsável da associação Entregatos, Ema Mock: “As pessoas acham que o termo abandono só se aplica aos animais que são largados na rua. Acreditam que se forem deixados numa associação ou num canil municipal, já não é abandono”.

O abandono mata mesmo

Esta responsável relata ainda que há gatos abandonados que se suicidam: “Os gatos que estiveram isolados a vida toda e nunca tiveram contacto com outros da sua espécie têm de ir para uma jaula para se habituarem progressivamente à presença de outros animais”, mas “ao fim de dois ou três dias, deprimem e morrem“, “suicidam-se”, refere Ema Mock. “Nada que façamos os anima. Os mimos, o colo, a comida à seringa, nada”.

Fonte: Zap

Recent Posts