10 dicas para passear com o seu cão de forma segura e saudável

Quem convive com cães, sabe como é importante o exercício físico e os passeios para estes animais. As caminhadas são a melhor maneira de satisfazê-los, já que ajudam a desenvolver a socialização, e estimulam a parte física e psicológica de uma forma positiva. No entanto, poucos são os tutores que tomam as todas precauções necessárias para evitar os riscos de saúde e de segurança do animal.

É importante compreender que apesar de passear com o seu cão ser uma atividade necessária, se não forem tomados alguns cuidados, pode tornar-se um momento desgastante e até trazer problemas para o animal. Desde a preparação para o passeio diário até ao descanso do retorno, é necessário ter em atenção diversos detalhes. O sol, por exemplo, pode ser um grande perigo para o seu cão. Talvez o maior. Um vilão que pode causar doenças de pele, desidratação, possibilidade de queimaduras nas patas, por causa do piso quente, e até levá-lo à morte, se associado a esforços – principalmente em cães de focinho achatado (braquicefálicos).

O maior erro para passear com os cães está relacionado com a escolha do horário. Não se pode esquecer que os horários de sol quente são os piores momentos.

Veja abaixo 10 dicas para evitar problemas no passeio com o seu patudo!

1 – Evite caminhadas sob sol forte e temperatura elevada
Nos dias de calor, os melhores horários para os passeios diários são de manhã cedo e ao final do dia, quando o sol se põe. Os cães sofrem com temperaturas elevadas, desde queimaduras nas patas, hipertermia e problemas na pele.

2 – Verifique as condições do seu animalAntes de sair de casa, devemos ter certeza que o nosso cão está apto para fazer uma caminhada, por mais leve que seja. O animal não pode vir de um pós-operatório, de uma cirurgia recente, não deve ter nenhum processo patológico (estar doente ou debilitado), deve ter as vacinas e vermifugação atualizadas e, principalmente, protegidos para parasitas (pulgas e carraças). São os ectoparasitas que transmitem as doenças.

3 – Acalme o seu patudoA maioria dos animais fica bastante ansioso com os passeios. Então, nada de deixá-lo aflito antes da hora da caminhada chegar. Não fique com a coleira nas mãos, não mostre ao bichinho que se está a preparar para a sair, se ainda não estiver pronto, ele não vai deixá-lo em paz. Converse com ele, acalme-o e só na hora em que realmente estiver para sair, coloque a coleira e a trela. Saia com tranquilidade, e a caminhada será mais harmoniosa.

4 – Não exagere no tempo do passeio
Para não promover um desgaste maior no seu animal, evite os excessos. O tempo correto da caminhada é variável, não existe uma regra oficial. Mas cada bichinho, pela raça, tamanho, porte, pelagem, as características e a condição física e de saúde, se é portador de alguma patologia crónica, vai ter variações naquele que pode ser considerado como o tempo ideal. Se por exemplo, formos passear um yorkshire, um animal pequeno, que respira mal, e o fizermos caminhar por quilómetros, vamos certamente originar complicações e sofrimento ao animal. Por outro lado, um cão de porte maior, um pitbull, de três anos, conseguirá caminhar muito mais que um maltês de 15 anos. Devemos respeitar os limites e as característica de cada raça.

5 – Confira todos os acessórios de segurança/proteção
Além de ser muito importante ter a vacinação em dia e devidamente protegidos contra pulgas e carraças, os cães devem contar com uma coleira e uma guia de segurança. Não podemos esquecer que andar com animalzinho solto propicia acidentes, atropelamentos e ataques de outros cães. Esses são cuidados imprescindíveis. Algumas raças de grande porte, por lei, em ambiente público, têm de estar de focinheira.

6 – Transmita segurança ao seu animalRalhar, dar broncas, e gritar com o seu cão vai deixar o seu parceiro do caminhadas irritadiço. O cãozinho tem de saber que é você quem está no comando, mas o diálogo necessita de calma, tranquilidade, para que o seu animal se sinta em segurança. Tente mostrar alegria neste tão importante momento com o seu cão!

7 – Deixe-o aproveitar a caminhada
Mais do que uma simples caminhada, os cães adoram usar os seus passeios para marcar o território (urinam em postes e paredes) e fazem as suas necessidades nestes momentos. Não fique sempre a ralhar ou a proibir o seu animal de desfrutar o passeio. Apenas leve os saquinhos para a recolher as fezes, e tudo bem.

8 – Recompense-o com petiscos caninos
Normalmente, o cão gosta mesmo muito de sair para dar umas voltas. Ou seja, o passear já é uma recompensa para ele. Mas existem os cães que estão a aprender, em fase de adestramento, o que torna comum o uso de petiscos, como forma de recompensa, para ele aprender a usar a coleira, respeitar os limites, o puxar, a trela, esperar quando vamos atravessar a rua… Nessa fase é mais comum o uso de recompensas. Conforme o seu cão se for adaptando, o passeio por si só já é uma recompensa.

9 – Não se esqueça de levar água e comida
Qualquer atividade física é desgastante e requer hidratação. Levar alimentação e água fresca é mesmo necessário. Hoje, temos à disposição garrafinhas próprias para os aniamis, que facilitam muito o bem estar do seu animal ao longo do passeio.

10 – Descanse ao longo do percurso
Cansado ou insatisfeito, o seu cão deita-se, fica aflito, recusa-se muitas vezes a continuar a atividade, saliva bastante e respira de uma forma muito rápida. Quando isso acontece, devemos parar, oferecer-lhe um pouco de repouso, num ambiente que não esteja quente, além, é claro, de oferecer água fresca. Após as caminhadas, os animais também devem poder ficar relaxados num ambiente fresco.

E por fim, só nos resta desejar a si e a todos os patudos, um ótimo Passeio!

Recent Posts